Sinergias terapêuticas com óleos essenciais

Conteúdos do Post

Sinergias Terapêuticas

Sinergia é o termo usado para descrever o fenômeno no qual o efeito do todo é maior do que a soma de suas partes. 

Williamsn (2001) explicou que as interações sinergias são consideradas de vital importância na fitomedicina. As interações positivas são chamadas de sinergias e as negativas de antagônicas. (RHIND, 2019)

Portanto, sinergia descreve o resultado no qual os componentes potencializam um ao outro e o efeito é significativamente maior do que o que poderia ser previsto pela atividade. (RHIND, 2019)

Em um tratamento com os óleos essenciais as Sinergias Terapêuticas são uma excelente ferramenta de Psicoaromaterapia. 

Exemplo de sinergia na forma de rolon. Fonte: própria autora.

Na maioria das vezes os efeitos terapêuticos de uma combinação aromática alcançam melhores resultados que a utilização de cada um dos componentes da fórmula. 

As formulações devem ser personalizadas. O tema da sinergia deve ser definido em conjunto com a pessoa que procura o aromaterapeuta para realizar a formulação. A combinação de óleos essenciais deve respeitar as características pessoais, o objetivo terapêutico e estar de acordo com o momento de vida da pessoa. 

Exemplo de sinergia na forma de perfume terapêutico. Fonte: própria autora.

Muito utilizadas na Psicoaromaterapia, as sinergias tem sua origem na Antiguidade. Um exemplo disso é a combinação do Olibano e da Mirra. Há registros de cerca de 1.500 a.C., na farmacopéia do Antigo Egito e China em que as resinas de olíbano e mirra já eram usadas de forma combinada. (Rhind, 2019 p.23)

Na antiguidade a palavra medicamentum era utilizada para diferentes formulações: cosméticos, perfumes, poções e remédios. Muitos perfumes eram feitos com extratos de plantas aromáticas e usados também como remédios. (Rhind, 2019 p.25)

Em 1923, Giovanni Gatti e Renato Carola publicaram uma revisão abrangente dos efeitos dos oleos essenciais no sistema nervoso, no humor e nas emoções. No inicio dos anos 1970, Paolo Rovesti, de acordo com Tisserrand (1988) foi possivelmente o primeiro a demonstrar a eficácia clinica das essências aromáticas no tratamento da ansiedade e da depressão. Marguerite Maury, uma pioneira da aromaterapia holistica, foi uma das primeiras a estudar e promover a combinação de óleos essenciais. (Rhind, 2019 p.52)

Se ainda não conhece os benefícios dos óleos essenciais e da psicoaromaterapia recomendo que experimente! 

Fonte: Rhind, Jennifer. Sinergias Aromáticas: aprendendo a combinar corretamente os oleos essenciais. [tradução Renata Maria Badin], Belo Horizonte: ed. Laszlo, 2019.

Compartilhe esse post!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram