Óleos essenciais antivirais já eram utilizados em pandemias – conheça a história da peste negra

Conteúdos do Post

A utilização de óleos essenciais e o conhecimento das suas propriedades curativas remonta às civilizações chinesas e egípcias, sendo considerada uma das mais antigas formas de medicina e cosmética. Os Romanos, e mais tarde os Árabes, aperfeiçoaram os conhecimentos adquiridos com as civilizações que os precederam. Na civilização árabe destacou-se o famoso alquimista Avicena, pioneiro no método de destilação de plantas medicinais com alambique.*1

Uma história conhecida na cultura popular da Europa, especialmente na França conta que durante a Peste Negra quatro ladrões destemidos que entravam nas casas dos doentes e não se contaminavam. A Peste Negra começou em meados do século XIV e durou 600 anos. Também chamada de peste bubônica, foi uma pandemia devido às condições precárias de higiene que matou entre 75 a 200 milhões de pessoas.*2

Mas ninguém entendia a razão dos 4 ladrões se manterem imunes à peste, pois roubavam inclusive os cadáveres. Dada a virulência e a letalidade da peste, os juízes ficaram admirados com a indiferença dos ladrões ao contágio.

A história diz que o Rei ouviu falar sobre esses homens que entrariam nas casas das pessoas tomadas pela praga, para roubá-los de todos os seus objetos de valor, mas não ficavam doentes com a doença altamente contagiosa. O Rei mandou capturar esses ladrões e quando eles foram trazidos na frente dele, ele exigiu que revelassem o seu segredo.

Eles confessaram ser de uma família de boticários há várias gerações. Eles estavam familiarizados com a proteção imunológica fornecida por certas misturas de óleos essenciais que eles esfregavam em todo o corpo antes de ir roubar os mortos. Dizem que o Rei os obrigou a revelar a sua receita e passou a utilizar os óleos para proteger a si mesmo e sua família das devastações da Peste Negra. Reza a lenda que a receita ainda está nos arquivos reais até hoje.

Quando finalmente foram capturados, para que tivessem uma pena mais branda do que a morte na fogueira a qual haviam sido condenados, eles revelaram que possuíam a receita de uma poção que haviam encontrado numa antiga biblioteca e que protegia de qualquer mal.*2

Em 1748 a poção foi registrada no Pharmacopée Française e era vendida como anti-séptico nas farmácias. Em 1964 foi publicada a receita, supostamente original, do vinagre dos quatro ladrões, por Jean Valnet, doutor francês em aromaterapia, no livro L’aromathérapie.

Apesar de existirem várias receitas, basicamente são ervas tidas como sagradas e vinagre.

Receita do Vinagre dos Quatro Ladrões (Dr. Valnet)*2

1.400 ml de vinagre de vinho branco

Um punhado de absinto (Artemisia absinthium)

Um punhado de Ulmeira (Filipendula ulmaria)

Um punhado de bagas de zimbro (Juniperus communis)

Um punhado de manjerona silvestre (Thymus Mastichina, da Espanha)

Um punhado de sálvia (Salvia officinalis)

50g de cravinho (Syzygium aromaticum)

60g de raiz de erva-campeira (Inula helenium)

60g de angélica (Angelica archangelica)

60g de alecrim (Rosmarinus officinalis)

60g de marroio (arrubium vulgare)

3g de cânfora (Cinnamomum camphora é o nome da árvore. O composto químico é C10H16O)

Uma segunda teoria afirma que a fórmula “anti-peste” foi desenvolvida por Richard Forthave e, originalmente, o “remédio” passou a ser chamado de Forthave’s. Com o passar do tempo, no entanto, fomentado por lendas populares, o nome foi substituído para Four Thieves, quatro ladrões em inglês. *3

A Peste Negra foi uma pandemia, isto é, a proliferação generalizada de uma doença causada pelo bacilo Yersinia pestis, que se deu na segunda metade do século XIV, na Europa. Ela teve sua origem no continente asiático, precisamente na China. A propagação da doença, inicialmente, deu-se por meio de ratos e, principalmente, pulgas infectados com o bacilo, que acabava sendo transmitido às pessoas quando essas eram picadas pelas pulgas – em cujo sistema digestivo a bactéria da peste se multiplicava. Num estágio mais avançado, a doença começou a se propagar por via aérea, através de espirros e gotículas. Como ainda não havia um desenvolvimento satisfatório da ciência médica nesta época, não se sabia as causas da peste e tampouco os meios de tratá-la ou de sanear as cidades e vilas. *4

A pandemia que estamos enfrentando hoje com o Covid19, assim como a peste negra no séc XIV, deve ser tratada seguindo as recomendações de saúde, como higiene pessoal, assepsia de ambientes, além das medidas de isolamento que estamos sendo fortemente orientados nos últimos dias. Mas há algo que sem duvida alguma todos podemos fazer e que fará grande diferença em nossas saúde que é AUMENTAR NOSSAS DEFESAS NATURAIS, reforçando o sistema imunológico.

Alimentos e suplementos naturais, além de cuidados com assepsia são excelentes aliados neste momento. Mas o que vou destacar aqui é o USO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS para combater os vírus e aumentar a imunidade.

Inspirada nos efeitos medicinais do famoso vinagre dos 4 ladrões, compartilho uma receita que pode ser utilizada no ambiente (em um borrifador) e mesmo sobre o corpo (se precisar sair na rua, por exemplo, pode usar antes e depois). Segue a formula.

Para 300ml usar

100ml de vinagre de álcool

100ml de álcool

100ml de água

Usar o blend de óleos essenciais puros em uma concentração de 2% (se usar sobre a pele) a 5% (uso no ambiente). Dá um total de 150 gotas para concentração de 2% que seriam distribuídas da seguinte forma:

10 gts de Óleo essencial de cravo-da-índia (Syzygium aromaticum)

50 gts de Óleo essencial de alecrim (Rosmarinus officinalis)

50 gts de Óleo essencial de eucalipto (Eucalyptus globulus)

30 gts de Óleo essencial de limão (Citrus limon)

10 gts de Óleo essencial de canela (Cinamomum ssp)

Mas no caso de não ter acesso aos óleos essenciais ou algum ingrediente para fazer a fórmula, o principal não é a receita antisseptica. A maior mensagem que pretendo deixar aqui é que se pensarmos em AUMENTAR NOSSAS DEFESAS NATURAIS estaremos reforçando todo sistema imunológico e melhorando nossas condições de enfrentar qualquer agente agressor. Assim como ocorreu em pandemias na antiguidade, temos exemplos de recursos da própria natureza que são muito eficazes.

Os óleos essenciais são verdadeiros “guerreiros” contra virus, bactérias, fungos e todo tipo de desequilíbrio que nosso organismo esteja sofrendo!

* fontes:

1 https://www.copper-alembic.com/pt/pagina/a-historia-dos-oleos-essenciais

2 https://circulodasbruxas.com/2018/11/o-vinagre-dos-quatro-ladroes

3 https://www.emporiolaszlo.com.br/blend-4-ladroes-four-thieves.html

4 https://www.historiadomundo.com.br/idade-media/peste-negra.htm

Compartilhe esse post!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram